Acesso Água Potável

O planeta Terra possui cerca de 71% de sua superfície recoberta por água. Desse total, cerca de 97,5% da água é salgada e apenas 2,5% são de água doce, que é a utilizada para consumo humano. Entretanto, nem toda água doce está disponível para uso, uma vez que grande parte está no estado sólido em geleiras e calotas polares. Do total de 2,5%, apenas 0,77% estão disponíveis, porém nem sempre atende às especificações para ser considerada potável. Informações do site www.mundoeducação.uol.com.br.

A água potável pode ser definida como a água própria para consumo, ou seja, livre de substâncias e organismos que possam trazer doenças, além de não possuir cor, gosto ou cheiro. Para que uma água seja considerada potável, devemos, portanto, analisar suas características físicas, químicas, biológicas e até mesmo radioativas.

Normalmente águas de rios e lagos não são próprias para consumo humano, sendo fundamental que passem por processos específicos em estações de tratamento de água. Após o tratamento, é importante que sejam realizados testes para confirmar se a água tratada corresponde ao padrão de potabilidade exigido pelo Ministério da Saúde. Caso esteja de acordo, a água poderá ser enviada para a população.

A Organização Mundial de Saúde estima que cerca de 748 milhões de pessoas não possuam acesso de forma sustentada à água potável no mundo e aproximadamente 1,8 bilhão de pessoas utilizem água contaminada. Isso significa que uma grande parcela da população está sujeita a contrair doenças que podem, inclusive, levá-la à morte. O Brasil tem 84,1% da sua população servida de água potável. Isso significa que 34 milhões de habitantes não tem acesso à água potável.

O ideal é que tenha 100% da população servida com água potável. Para efeito de demonstrar as coberturas, aceitou-se 90% como sendo bom. Água é vida.

A unidade da federação que tem a maior percentagem da população servida por água potável é o Distrito Federal com 99%, seguida por São Paulo com 96,5% e Paraná com 95,3%. Goiás está com 90,9% da população com água potável. Entre as piores coberturas da população com água potável estão o Estado do Amapá, com somente 33,7% da população servida de água potável e o Acre com 47,2%.

As principais doenças que podem ser transmitidas pela água são: diarreia por Escherichia coli, amebíase, cólera, leptospirose, disenteria bacteriana, hepatite A, esquistossomose, febre tifoide, ascaridíase, dengue, rotavírus, poliomielite e toxoplasmose.

A falta de água potável no Brasil e no mundo apresenta diversas causas, destacando-se a poluição e a falta de planejamento na distribuição desse recurso. Sendo assim, é importante que políticas sejam criadas urgentemente para garantir a conservação dos corpos hídricos, a despoluição de rios e que a distribuição ocorra de maneira adequada. Também é fundamental o investimento constante em saneamento, pois este garante um destino adequado ao esgoto e que água de qualidade chegue à população.